Educação para a Cultura e para a Criatividade
Apresentação


Memória Criativa é um programa integrado de educação criativa para a cultura e para a criatividade promovido e desenvolvido pela área da Cultura e Educação da Associação Porto Digital.

Desde a sua criação em 2009 e até 2013 encontrou-se inserido no programa de coadjuvação curricular Porto de Crianças, desenvolvido pelo Departamento Municipal de Educação, no âmbito do Pelouro da Educação da Câmara Municipal do Porto.

Destina-se à comunidade escolar do 1º Ciclo do Ensino Básico e às famílias dos participantes, propondo-se num programa intergeracional.

O tema central do programa é o património cultural e os museus da cidade do Porto, a cultura entendida como o território, as pessoas, a memória, os monumentos, a cidade viva.

Memória Criativa assenta na premissa de que o conhecimento se constrói a partir do conhecimento já existente e de que quanto mais amplo for esse conhecimento e mais ricas e diversificadas forem as vivências maior será a capacidade de desenvolver o sentido crítico, o pensamento criativo e o poder de criação.

Memória, na denominação do programa, refere-se à memória individual e colectiva herdada, à memória social, individual, a partir da quais se constroem novas memórias, novo conhecimento e novas vivências e experiências; a palavra Criativa assume duplo sentido - criação e  criatividade: partindo da herança cultural, do nosso eu social e individual e das novas memórias construídas, o programa propõe a criação de produtos artísticos, digitais e jornalísticos que estimulam a criatividade, aqui entendida no sentido do pensar, do ver, do fazer e de nos relacionarmos de forma criativa.

A comunicação e a partilha do saber e do conhecimento adquirido e das experiências vivenciadas é fundamental para o acesso de outros a esse conhecimento. O site da Memória Criativa divulga as vivências, os processos e os produtos finais, disseminando esse conhecimento a uma comunidade alargada, contribuindo para o desenvolvimento cultural e social e para a permanência das memórias colectivas.

O binómio Memória Criativa traduz, assim, a responsabilidade na recepção e transmissão de uma herança cultural onde cada um é responsável pela construção da memória e sua divulgação para a construção de uma identidade.

É com esta visão que a Memória Criativa cria e desenvolve, anualmente, projectos diferenciados que promovem a descoberta da cidade do Porto, articulando a educação patrimonial e museal com as artes plásticas e performativas, a tecnologia, a ciência, a comunicação, num ambiente de interdisciplinaridade.

O projecto reúne, em cada ano, parceiros e colaboradores adequados às temáticas dos projectos, e beneficia do relacionamento gerado entre uma multiplicidade de saberes e perfis profissionais: professores, educadores de museus, artistas, jornalistas, gestores e património, biólogos, tipógrafos, entre outros. Esta rede de parceiros envolve a Câmara Municipal do Porto, os museus, escolas secundárias, universidades e escolas superiores de educação.

Os projectos são pensados e planeados pela Memória Criativa e, posteriormente, apresentados aos respectivos parceiros e colaboradores multidisciplinares, num encontro onde se debatem e se cruzam os diferentes domínios de acção em torno de um tema. Dessas reuniões resulta, habitualmente, um plano de trabalho verdadeiramente interdisciplinar. Seguidamente o projecto é apresentado ao professor, que contribui com informações que permitem conhecer a realidade da escola, o contexto vivencial e de aprendizagem dos alunos, os seus interesses e necessidades. Este conhecimento prévio permite uma melhor adequação das actividades ao público-alvo. Os projectos são, assim, construídos e desenvolvidos através de um processo colaborativo e em rede, que fomenta a criação de sinergias entre as entidades educativas e culturais e os artistas.

A participação e a interacção entre todos os intervenientes estende-se também às famílias, apelando-se, desde o início, ao envolvimento dos núcleos familiares nas actividades e convidando à participação activa na descoberta de uma herança cultural comum.

O projecto desenvolve-se em sessões continuadas, ao longo do ano lectivo, que culminam na apresentação de produtos artísticos e/ou digitais e jornalísticos subordinados à temática abordada. Todo o processo de construção para atingir o produto final ocorre em diferentes contextos - no espaço escola, no espaço cidade e no espaço casa – e envolve um trabalho individual e sobretudo em equipa.

Ao longo desse processo, alunos, professores e famílias vão sendo envolvidos em propostas de trabalho durante as quais interagem com profissionais de variadas áreas interdisciplinares e realizam visitas à cidade – museus, jardins, arte pública (escultura, azulejaria), pontes, apenas para mencionar alguns. As actividades desenvolvidas privilegiam o diálogo, o trabalho colaborativo, a aprendizagem partilhada, a experimentação e o contacto com ferramentas e métodos de aprendizagem e de descoberta diferenciadas, proporcionando aos participantes a aplicação e o desenvolvimento dos seus interesses, talentos e aptidões. Simultaneamente, neste processo, são confrontados com a necessidade de resolução de problemas que provocam o pensamento criativo, estimulam o sentido crítico, a capacidade de raciocínio, e a memória.

As sessões realizadas em diferentes contextos e envolvendo diferentes domínios e profissionais, proporcionam aos participantes o contacto com a transversalidade do conhecimento desde cedo.

A criação pelos alunos dos conteúdos dos produtos finais, - jogos multimédia, livros de autor, peças de teatro, trabalhos plásticos, vídeo-reportagens – a partir dos conhecimentos adquiridos, das experiências vividas, e através de uma participação activa e integrada, coloca-os no centro de todo o processo de criação permitindo-lhes que se revejam no produto final. Isto proporciona uma aprendizagem mais duradoura e significativa ao mesmo tempo que desenvolvem uma maior capacidade de comunicação e de negociação.

Consentâneo com a actualidade, este projecto fomenta a utilização das novas tecnologias já existentes nas escolas e dá a conhecer e potencia a utilização responsável de outras que, em conjunto, motivam e impulsionam a aprendizagem criativa, a expansão do uso da linguagem e da auto-confiança e, consequentemente, da capacidade de comunicação – são exemplo disso os jogos multimédia e as vídeo-entrevistas, respectivamente.

Assente num modelo de acesso e envolvimento que coloca os participantes no centro do processo de criação, a Memória Criativa ambiciona contribuir para a mudança de atitudes, para a formação de públicos culturalmente mais enriquecidos, de adultos confiantes, bons comunicadores, empreendedores e inovadores, integrados e interventivos na sociedade.