Educação para a Cultura e para a Criatividade
Aniversário de José Afonso
Hoje comemora-se o 84º aniversário de José Afonso, o cantor da liberdade.
02
AGO
2013

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, mais conhecido por Zeca Afonso, nasceu a 2 de Agosto de 1929, em Aveiro, filho de José Nepomuceno Afonso, juiz, e de Maria das Dores Dantas Cerqueira, professora primária.

Durante a infância viveu em Angola e em Moçambique, tendo regressado a Portugal em 1938. Em 1940 mudou-se para Coimbra para estudar. Começou a cantar serenatas com as tunas da Academia de Coimbra, tornando-se rapidamente conhecido pelas suas interpretações do fado coimbrão.

Em 1949 inscreveu-se no primeiro ano do curso de Ciências Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras. Em 1953 foram editados os seus primeiros discos com fados de Coimbra.

Em 1955 iniciou a sua carreira como professor do ensino secundário, passando por diversas cidades. Acabou por ser expulso do Ensino por incompatibilidades ideológicas com o regime ditatorial do Estado Novo e começou a dedicar-se mais à música.

José Afonso recriou temas folclóricos e infantis, retomou as raízes culturais portuguesas e o ambiente lírico dos cancioneiros primitivos e denunciou diversos problemas sociais, como a pobreza, a fome e a ausência de liberdade.

A maior parte das canções de José Afonso revelam o “ser português”, ao mesmo tempo que funcionam como a voz da resistência ao regime ditatorial. É o caso de “Vampiros”, “A Morte saiu à rua”, “O que faz falta”, “Os índios da meia praia” e “Grândola Vila Morena”, hino da libertação.

Apesar de ter sido galardoado três vezes, em 1969, 1970 e 1971 com um prémio oficial da Casa da Imprensa, a sua canção foi banida dos meios de comunicação social durante o Estado Novo.

A sua canção no pós-25 de Abril continuou a ser de intervenção, de compromisso cívico, alertando para o imperialismo, o novo colonialismo em África e o individualismo europeu, abordando novas formas de opressão e aspirando a uma revolução ainda não cumprida.

José Afonso morreu no dia 23 de Fevereiro de 1987 em Setúbal, vítima de esclerose lateral amiotrófica.

A música de José Afonso continua a ser ouvida por diversas gerações e utilizada como instrumento de protesto político. Calcula-se que existam atualmente mais de 300 versões de canções suas gravadas por mais de uma centena de intérpretes, o que faz de José Afonso um dos compositores portugueses mais divulgados a nível mundial. O seu trabalho é reconhecido e apreciado pelo país inteiro e José Afonso terá para sempre um papel muito importante na sociedade e na cultura poética portuguesas.

Fonte: Associação José Afonso e Infopédia

< LISTA GERAL DE NOTÍCIAS