Educação para a Cultura e para a Criatividade
Sessão
A escola visita a FEUP
11 Junho 2013
Entidade
Promotora
Associação Porto Digital
Parceiro(s)
Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Orientação
Álvaro Azevedo
Susana Medina
Durante o projeto "De Ponte em Ponte" aprendemos muito sobre as pontes do Rio Douro: autor do projeto, ano de inauguração, razões que motivaram a construção e o contexto político, económico, social e cultural da época. Mas faltava-nos ainda encontrar as respostas a muitas perguntas relacionadas com a componente técnica de construção das pontes. Para algumas destas questões só os engenheiros têm respostas. Por isso fomos à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) para conhecer a "escola" onde se formam os engenheiros e esclarecer todas as nossas dúvidas com o engenheiro e professor Álvaro Azevedo e com a museóloga Susana Medina.

Chegados à FEUP seguimos para a Biblioteca onde fomos simpaticamente recebidos pela Susana Medina. Aí sentamo-nos confortavelmente em círculo. Estávamos prontos para dar início a uma conversa muito interessante sobre as pontes do rio Douro e os seus engenheiros.

Não podemos falar de engenharia de pontes sem referir Edgar Cardoso. Nascido na cidade do Porto, mais propriamente no Bonfim (é um orgulho estudarmos na freguesia em que Edgar Cardoso nasceu!), licenciou-se em Engenharia Civil na Faculdade de Engenharia. Assim, iniciámos a nossa visita na biblioteca da FEUP, onde a Susana Medina nos guiou pela vida e pela obra do génio de pontes. Só no Porto projetou a Ponte da Arrábida e a Ponte de São João, maravilhas da engenheira de pontes. Para facilitar o seu trabalho de projetista, Edgar Cardoso inventou o autoinfluenciógrafo. Sabem o que é? Nós explicamos: o autoinfluenciógrafo é um aparelho para testar o comportamento da estrutura da ponte, simulando sismos e testando cargas diferentes, com base na análise da sua maquete. Desta forma evitavam-se e corrigiam-se eventuais erros, o que poupava muito tempo e muito dinheiro. As maquetes criadas pelo eng. Edgar Cardoso estão em exposição na FEUP. Guiados pela Susana Medina e pelo professor Álvaro Azevedo, fomos observá-las e identificá-las.

Verdadeiro engenheiro, construiu muitas "engenhocas". Uma delas é uma máquina fotográfica rotativa. A máquina foi construída com base no motor de um limpa pára-brisas de um Volkswagen “carocha", e permite tirar fotografias de 360º panorâmicas sem distorção e em qualquer ângulo.

A profissão de engenheiro é verdadeiramente importante, interessante e até nos parece divertida. Mas exige muito trabalho e muitos conhecimentos. Não só de engenharia, mas também de matemática e de física. Sim, um engenheiro civil deve conhecer muito bem o meio em que está a trabalhar, as condições do vento, do solo... Mas bem, para conhecermos melhor o trabalho de um engenheiro e a engenharia de pontes, a Susana apresentou-nos o professor Álvaro Azevedo, que respondeu às nossas perguntas sobre a engenharia de pontes. Como é que as pontes aguentam tanto peso? Os pilares têm de ser grossos e robustos. E no caso da Ponte do Infante, que não tem pilares no rio? A Ponte do Infante é cravada nas escarpas. Em primeiro lugar foi necessário escavar as encostas, onde, posteriormente foi colocado o betão e as armaduras.

O engenheiro Álvaro explicou-nos também que a construção de uma ponte é um trabalho de equipa, entre engenheiros, arquitetos, especialistas em fundações, em pavimentos e construtores.

Esta tarde repleta de aprendizagens terminou com uma ótima surpresa. O engenheiro Álvaro Azevedo levou-nos a atravessar uma Ponte Pênsil que existe na Faculdade de Engenharia! Querem ver como é esta ponte? Vejam a galeria de fotografias."

< LISTA DE ACTIVIDADES