Educação para a Cultura e para a Criatividade
Sessão
Museu Nacional de Soares dos Reis - Viver o museu com os cinco sentidos
14 Março 2013
Entidade
Promotora
Associação Porto Digital
Parceiro(s)
Museu Nacional de Soares dos Reis
Orientação
Paula Azeredo
O Museu Nacional de Soares dos Reis situa-se no Palácio dos Carrancas, um edifício construído no final do século XVIII e início do XIX. Através da história do edifício e da história do museu, dos seus objetos e dos seus artistas, ficámos a conhecer um bocadinho do contexto social, histórico e artístico dos séculos XIX e XX, época em que a maioria das pontes do rio Douro entre o Porto e Gaia foi construída.

De bloco de notas numa mão e máquina fotográfica na outra iniciámos esta viagem, da qual não queríamos perder nada.
Quando viajamos, seja onde for, não basta levar um bom par de olhos... Precisamos de todos os sentidos bem despertos: um belo nariz, um bom par de ouvidos, uma pele bem justinha, e não deixem o paladar em casa na mesa do pequeno almoço! Há que saborear a vida também aqui, no museu. Assim, podemos entrar nas obras, vivê-las e comunicar a partir delas e dos significados que descobrimos! Sim, claro que o fazemos também com a nossa imaginação, é com ela que entramos nas obras e as contemplamos: um jogo de faz de conta, ao vivo e a cores!!!

E nada de mãos nas obras!O toque dos nossos dedos corrrrrrói os objetos e estes são de todos nós e queremos conservá-los na melhor forma possível. Nunca se esqueçam deste cuidado!

O desafio: descobrir a obra X e entrar... Para isso, tivemos de percorrer o museu, os artistas... Queríamos parar, fotografar (sem flash, claro!), conhecer cada obra, mas a nossa esperava por nós. Encontrámos! Que entusiasmo! Entrámos nela... Sentimos a temperatura daquele lugar, ouvimos os sons ambiente, sentimos a textura das roupas das pessoas representadas, vimos as suas expressões faciais, ouvimos os seus passos, a sua respiração, sentimos o cheiro dos campos, das frutas, do mar. Saboreámos cada pormenor, vivemos a obra consoante as nossas próprias vivências e a nossa imaginação.

O mesmo fizemos com a obra "A ponte D. Maria" de Eduardo Viana. Já conhecemos bem esta ponte graças ao projeto "De Ponte em Ponte", por isso estávamos prontos para entrar na obra. Como são as pinceladas? Onde estaria o pintor? Vamos ao seu encontro? Atravessamos a ponte a pé... Sentamo-nos na relva ou no tronco de uma árvore... O que vemos? Que sons ouvimos? Que cheiros sentimos naquele local? O comboio a vapor, o fumo, os passageiros a olhar a paisagem, as àrvores, as cidades do Porto e Gaia...

O sol estava mesmo a convidar a um lanche no jardim do Palácio. E assim terminou estar tarde tão especial de descobertas e de convívio com o Museu, com as suas obras e com os outros. Não percam as fotografias e o vídeo que estamos a preparar.

< LISTA DE ACTIVIDADES