Educação para a Cultura e para a Criatividade
Sessão
Domingo em família na Casa do Infante
10 Março 2013
Entidade
Promotora
Associação Porto Digital
Parceiro(s)
Casa do Infante
Orientação
Graça Lacerda


Esta tarde de Domingo foi passada em família na Casa do Infante. Uma tarde em que, com os nossos pais, avós, irmãos e amigos, fomos reis e rainhas, infantes e infantas, aias e escudeiros. Viajámos até ao burgo medieval muralhado e observámos o rio Douro sem Pontes. Fomos museólogos e descobrimos as peças do museu através da atividade Inventarius. Curiosos?! Venham conhecer mais sobre esta tarde de convívio, descobertas, experiências e diversão!

A Casa do Infante ficará para sempre ligada ao Infante D. Henrique, que aqui nasceu a 4 de Março de 1394, e à sua família. Vamos contar aos nossos familiares a sua história? Era uma vez um rei chamado D. João I que gostava muito da cidade do Porto. Aqui, na Sé, casou com a princesa inglesa, que viria a ser rainha, Dona Filipa de Lencastre. Do seu amor nasceram os infantes D. Duarte, D. Pedro, D. Henrique, Dona Isabel, D. João e D. Fernando, personificados por nós, com a ajuda de chapéus e coifas, tal como eles usavam.

Este edifício tem uma longa História e guarda muitas histórias. Juntos, fomos descobri-las. Foi construído no século XIV, a mando de D. Afonso IV, para funcionar como alfândega, o local onde eram cobrados os impostos das mercadorias que chegavam à cidade. Na década de 1990 foram realizadas profundas escavações arqueológicas, que permitiram conhecer melhor o edifício, a sua história e até a história do Porto. Os arqueólogos descobriram que a zona da Ribeira foi ocupada pelos romanos, prova disso é o mosaico romano que aqui podemos observar.

Não podíamos deixar de mostrar aos nossos familiares a maquete da cidade do Porto. Olhamo-la atentamente e vemos que faltam elementos arquitetónicos que fazem parte da identidade da nossa cidade: as pontes, os Paços do Concelho, a Torre dos Clérigos, o Estádio do Dragão... Sabem porquê? Porque esta maquete mostra o Porto Medieval, o Porto de há 600 anos. Reparem na muralha... "A Muralha Fernandina!" - dissemos em coro. É isso mesmo! A muralha Fernandina foi mandada construir por D. Afonso IV em 1336, mas só viria a ser concluída em 1376, no reinado de D. Fernando, que lhe deu o nome. Quisemos também ver onde fica a Sé, onde casaram o D. João I e a Dona Filipa Lencastre. Clicámos no botão correspondente à Sé, o edifício iluminou-se e ouvimos uma voz a contar a sua história. Parece magia!

Na última vez que estivemos na Casa do Infante com a escola, trabalhámos como arqueólogos. Limpámos e identificámos fragmentos e, com muita paciência e minúcia, reconstituímos um vaso. Hoje a Graça Lacerda lançou-nos outro desafio: fazer um inventário das peças expostas na Casa do Infante. Percorrendo o museu, partimos à descoberta das peças e das informações necessárias para fazermos o seu bilhete de identidade - designação, data, material e o local onde está exposta. Com os nossos familiares formamos equipas de verdadeiros museólogos!

A visita estava quase a chegar ao fim. Mas antes de nos despedirmos, tivemos a oportunidade de conhecer um sítio muito especial - a Sala Memória, no Arquivo Histórico Municipal do Porto. Aqui encontrámos documentos muito antigos, da época medieval, que acompanham a história da cidade. Por serem tão antigos, requerem cuidados especiais. Devemos, por exemplo, evitar que sejam expostos à luz para o papel não se desgastar. Sentem este cheirinho? Cheira a História!

Hoje fomos nobres, investigadores e até museólogos, numa tarde de descobertas e de viagens no tempo em família e com os amigos, tornando-a ainda mais especial.

< LISTA DE ACTIVIDADES