Educação para a Cultura e para a Criatividade
PROJECTO na ESCOLA
"De Ponte em Ponte: pontes do rio Douro" - Projecto

APRESENTAÇÃO

Este ano vamos viajar pelo Porto e Gaia. Reparem no mapa: são cidades separadas pelo rio Douro pelo que o contacto entre as duas margens nem sempre foi possível. Provavelmente foi por isso que inventaram as pontes, para podermos circular mais facilmente entre estes dois pontos. Vamos saber mais?

O projeto Memória Criativa 2012/2013 propõe a construção de um jogo multimédia e a criação de uma reportagem subordinada ao tema Pontes do rio Douro. O projeto parte da Exposição Itinerante do Museu Nacional de Soares dos Reis – ''De Ponte em Ponte'', que estará patente na escola durante o desenvolvimento do mesmo.

Para melhor compreenderem a importância histórica e a excelência do conjunto de pontes construídas entre o Porto e Gaia, os alunos têm uma abordagem multidisciplinar e transversal ao tema - Arte, Património, Engenharia, Arquitetura e Arqueologia coexistem e alimentam-se uns dos outros de forma criativa. 

Este projeto explora o universo das pontes, o seu contexto e respetivas implicações para a cidade e as suas componentes técnicas (materiais, formas, comportamento adequado) científicas e artísticas.

Na exposição "De Ponte em Ponte" os alunos estabelecem o primeiro contacto com as pontes, conhecendo cada uma delas, a sua localização e as suas caraterísticas. Na Casa do Infante com os colegas e com as famílias descobrem a cidade medieval, da época do Infante D. Henrique, o rio sem pontes. Aqui, os alunos contactam com a História da cidade e com a arqueologia. Na visita ao Museu de História Natural da Escola Secundária Alexandre Herculano, os alunos descobrem o admirável mundo animal e algumas espécies ligadas ao rio Douro. Na visita com a escola e com a família ao Museu Nacional de Soares dos Reis, os alunos conhecem o contexto artístico e também político e social da época em que as pontes foram construídas. Que papel teve o Palácio dos Carrancas, que alberga o Museu, ao longo da sua história? Que relações se podem estabelecer entre o contexto das pontes e os artistas, as coleções do Museu e o edifício? No cruzeiro de barco pelas pontes, os alunos observam-nas de uma outra forma, de um ângulo privilegiado, reparando nos pormenores, observando a partir do rio a arquitetura das pontes, as margens de onde se elevam e as cidades que elas unem. Na Faculdade de Engenharia, encontram-se as tão aguardadas respostas científicas: Que tipos de pontes existem e por quê? Como se faz uma ponte? De que materiais se controem as pontes? Quais as considerações fundamentais  ter na projeção de pontes?

Assim, vivendo a cidade, investigando individulamente, em equipa e em família, contactando com profissionais de áreas ligadas à Engenharia, Arqueologia, Comunicação, Produção Musical, Património, Programação e Museologia e conversando com os pais, professores, tios e avós, os alunos adquirem os conhecimentos necessários para produzir o jogo multimédia das palavras e a reportagem. Nas sessões práticas, os alunos produzem e gravam os sons para o jogo, criam os conteúdos e parte do design do jogo e constroem a narrativa escrita e visual para a reportagem.

O projeto “De Ponte em Ponte” tem como principal objetivo a criação de conteúdos digitais com caraterísticas lúdico-pedagógicas recorrendo à tecnologia como estratégia de aprendizagem, promovendo não só a criatividade bem como a capacidade de concentração e de aquisição de competências (JISC, 2007, p. 1 - 4). Os conteúdos nascem dos diálogos com os profissionais das diferentes áreas, das visitas à cidade e às instituições culturais, e por isso, vão evoluindo ao longo do tempo, possibilitando a ''interiorização de dados científicos, tecnológicos e sociais, estimulando as capacidades dos alunos em variados aspectos, tais como atitudes (...), pesquisa e organização de informação, de trabalho em equipa e de construção de posições fundamentadas” (GOMES et. al., 2010, p. 5).

 

DESTINATÁRIOS

Público-alvo: 4º ano

Nº de alunos: 25

 

METODOLOGIA

Para a realização deste projeto a Associação Porto Digital oferece à escola um conjunto de ações que englobam visitas a museus e à cidade e o cruzeiro de barco das pontes, de forma a que os alunos conheçam as pontes e as transformações que provocaram na cidade; sessões de exposição de conteúdos e de debate, sempre com o contributo dos alunos, ligadas ao jornalismo e à investigação relacionada com as pontes - caraterísticas, história, funções, contexto social, cultural, económico e político da época em que foram construídas; a participação em oficinas de escrita, fotografia, filmagem e edição; a criação e edição de sons para o jogo das palavras e ainda a contribuição para o design do lay-out do jogo.

Pretende-se que através das experiências proporcionadas pelo projeto no espaço-escola e no espaço-cidade, nas quais os familiares são sempre convidados a participar, os alunos possam rever os seus conhecimentos e criar novos. A presença dos familiares nas visitas aos museus constitui um momento de partilha conjunta de memórias, que se cruzam com as memórias do próprio museu e da cidade. A recolha destas memórias e histórias, ouvidas na escola, nos museus e em casa, encontradas nas pesquisas bibliográficas e nos jornais da época em que as pontes foram inauguradas, é muito importante para a produção da reportagem e do jogo, para o desenvolvimento do sentimento de pertença nos alunos relativamente ao Porto e também para a cidade, que assim se partilha continuamente.

 

OBJETIVOS

- Conhecer as pontes do rio Douro;

- Conhecer e valorizar o património e os museus da cidade do Porto;

- Conhecer engenheiros de pontes e artistas, movimentos e manifestações artísticas e culturais da cidade;

- Perceber as transformações urbanísticas que a construção das pontes originaram na cidade do Porto;

- Promover a educação cultural no sentido de favorecer a construção de uma identidade cultural;

- Praticar o trabalho em equipa e em família;

- Estimular o pensamento crítico e criativo na busca de respostas e na resolução de problemas;

- Desenvolver as capacidades de comunicação escrita e oral;

- Usar as tecnologias de forma eficaz e eficiente (captação de vídeo, áudio, fotografia, edição de vídeo e áudio) e promover a utilização das tecnologias educativas disponíveis nos equipamentos escolares, disponibilizando o jogo no quadro interativo e na internet);

- Contactar com profissionais de diferentes áreas do conhecimento e da expressão e estabelecer a troca de perspetivas e leituras com esses profissionais.