Educação para a Cultura e para a Criatividade
Sessão
Na cidade - Visita às esculturas
23 Fevereiro 2011
Entidade
Promotora
Associação Porto Digital
Parceiro(s)
Câmara Municipal do Porto - Departamento Municipal de Museus e Património Cultural
Orientação
Maria Augusta Marques


Ver, ouvir, descobrir, sentir!
Contagiados pela alegria dos "Treze a rir uns dos outros", pela imponência de "D. Pedro IV" e pelo sorriso da "Menina Nua", fomos sentindo e descobrindo a cidade ao mesmo tempo que aprendíamos sobre as esculturas - quando surgiram? De que materiais são feitas? Que histórias escondem? Quem são os seus escultores que parecem querer criar verdadeiros seres vivos?

Para a criação da peça de teatro "Estátuas vivas contam histórias" era essencial conhecermos pessoalmente as esculturas que iríamos representar. Para comunicarmos com elas, convidámos a pessoa que melhor conhece as suas vidas - a Maria Augusta Marques.

Com uma elevada dose de energia, iniciámos o nosso percurso pelos "13 a rir uns dos outros", da autoria de Juan Muñoz. No Jardim de João Chagas (Jardim da Cordoaria) percorremos a magnífica avenida de Plátanos onde os 13 se distribuem em grupos. Sentámo-nos a seu lado, sentimos o frio do seu bronze, ouvimos as suas gargalhados e gargalhámos com eles. No fundo da avenida, uma placa cravada no chão informava-nos que habitam naquele jardim desde 2001, ano do Porto Capital Europeia da Cultura e do nosso nascimento!

Aproveitámos para conhecer algumas estátuas vizinhas: a majestosa "Justiça" e o escritor "Ramalho Ortigão". Gostámos tanto delas que as convidámos a participar no nosso teatro.

Continuámos o nosso percurso descendo até à Praça da Liberdade. Pelo caminho, cumprimentámos o Bispo D. António Ferreira Gomes e tirámos uma fotografia na torre mais famosa do Porto - a dos Clérigos!

De repente, sentimo-nos mais pequeninos! Elevámos o nosso olhar. Estavamos perante a estátua equestre de "D.Pedro IV". Cedo descobrimos que grande era também a informação nela contida. Representando uma figura histórica de grande relevância para história de Portugal e do Porto, esta estátua sugere-nos questões que transcendem o domínio do material e do autor. Que importantes mudanças introduziu este rei de Portugal? O que segura ele na mão? Que histórias nos contam os relevos da base da estátua?...

Pertíssimo de D. Pedro, na Avenida dos Aliados, a "Menina Nua" observava-nos. Fomos ao seu encontro. Recebeu-nos com um sorriso terno que ainda mantém. De mármore, esculpida pelo "escultor do Porto", Henrique Moreira, permanece sentada numa fonte. Carrancas assustadoras acolhem graciosamente os seus pés e contrastam com o delicado e jovem rosto da Menina.

Finalizámos a visita imitando algumas estátuas e poses de super-heróis. Iniciámo-nos, assim, no mundo da estatuária do Porto e das Estátuas Vivas!

< LISTA DE ACTIVIDADES